As organizações expandiram o escopo e a complexidade das suas atividades e, como resultado, da tecnologia e globalização enfrentam um ambiente regulatório complexo e com intrincado regime de normas administrativas e criminais.

Soma-se a isso a edição da Lei n. 12.846, de 01 de agosto de 2013, conhecida como a Lei Anticorrupção, na qual há clara proibição das pessoas jurídicas praticarem atos de corrupção, sob pena de serem responsabilizadas de forma objetiva.

Casos recentes noticiados na mídia de exposição negativa da imagem de companhias gerados por fatos associados à corrupção, assédio moral, condutas antiéticas, fraudes, impactos ambientais e outras circunstâncias levam reguladores, investidores e o público em geral a prestar mais atenção do que nunca às práticas corporativas voltadas ao atendimento das questões regulatórias.

Uma falha de compliance pode resultar também em litígios, multas financeiras, restrições regulatórias e danos à reputação

Para se eximir das penalidades e responsabilização da Lei Anticorrupção é extremamente recomendável, senão imprescindível a confecção, implementação e contínuo aperfeiçoamento de programas de compliance, que poderá assegurar operação dentro dos limites da legislação e das regulamentações pertinentes, racionalização das práticas corporativas, proteção aos diretores e administradores, bem como à marca e à reputação entre outros.

O curso terá duração de 20 horas-aula, sendo ministrado do dia 11/12/2017 ao dia 15/12/2017, de 18:30 as 22:30.

R$200,00 (duzentos reais).

Faculdade Batista de Minas Gerais
Rua Varginha, 630 – Colégio Batista – CEP: 31.110-130
Belo Horizonte, MG